Vídeo de apresentação da Rede ECG


REDE DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA GLOBAL

A Rede ECG constituiu-se em outubro de 2013, durante um Encontro de trabalho de educadores/as que validou o Referencial elaborado ao longo de cerca de um ano, durante reuniões presenciais e com recurso a comunicação à distância. É uma rede informal, na medida em que os seus membros escolheram não a formalizar juridicamente, funcionando na base do trabalho colaborativo.

Começou com 16 participantes e foi crescendo, paulatinamente, atraindo educadores/as através do contacto com colegas e amigos/as membros ou da sua participação em Encontros nacionais. Em janeiro de 2016, a Rede ECG tinha 63 membros, que vivem e trabalham nos seguintes distritos: Aveiro, Braga, Évora, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal e região autónoma da Madeira. Ser membro implica assumir os compromissos enunciados no Referencial da Rede e contribuir com 12,00€ por ano (simbolicamente 1,00€ por mês) para o Fundo da Rede ECG.

A base de atividade da Rede ECG são o que denominámos de dinâmicas locaisque respondem às necessidades, potencialidades e desafios dos contextos particulares, em relação com os contextos globais” (do Referencial da Rede ECG). Para partilhar e refletir sobre o que se faz no âmbito da ECG, a Rede organiza anualmente um Encontro nacional de Educação para a Cidadania Global, que em 2015 congregou 137 participantes de vários pontos do país. Outros campos de intervenção são a co-organização ou participação em ações de formação temáticas e metodológicas, a elaboração e divulgação de recursos pedagógicos e a apresentação de comunicações na área da ECG.

O funcionamento da Rede baseia-se na troca regular de experiências e de saberes e no trabalho colaborativo no quadro de grupos de trabalho. Os membros reúnem presencialmente três vezes por ano, em diferentes locais, ao mesmo tempo que utilizam meios de comunicação digital. A animação e coordenação da Rede está a cargo da Equipa de Dinamização, anualmente renovada.

Durante os dois primeiros anos da Rede, o seu financiamento foi suportado por um projeto de Educação para o Desenvolvimento cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, o mesmo acontecendo, a partir do final de 2015, relativamente a algumas das atividades, em particular o Encontro nacional de ECG. No entanto, a questão da sustentabilidade tem sido alvo de reflexão e tomadas de decisão coletivas e todas as atividades internas são custeadas pelos próprios membros, que disponibilizam os seus recursos para assegurar, por exemplo, viagens e estadias para a participação nos três Encontros de trabalho anuais.

Abril de 2016