Notícias

II Seminário Internacional - Educação, Territórios e Desenvolvimento Humano

Porto, 20-21 de julho de 2017

O Seminário teve lugar no campus da Foz (Porto) da Universidade Católica Portuguesa. Contou com mais de 100 comunicações sobre os seguintes eixos temáticos:

  1. Projetos locais e desenvolvimento sociocomunitário
  2. Avaliação institucional e projetos de melhoria
  3. Alunos, professores e políticas de inclusão na escola
  4. Desenvolvimento profissional e formação profissional
  5. Escola, território e mundo do trabalho

No 4º tema foi apresentada a comunicação “ Educação para a Cidadania Global: inovação pedagógica na formação de cidadãos comprometidos com um desenvolvimento solidário e sustentável por Luís Santos , tendo como coautoras Teresa Martins e Isabel Sandra Fernandes . Esta comunicação insere-se no estudo que estes membros da Rede têm vindo a fazer sobre os contributos do trabalho em ECG para o desenvolvimento profissional dos/as professores/as envolvidos/as.


A conferência de encerramento, com o título “Escola e cidade: o espaço público da educação”, esteve a cargo de António Nóvoa e foi um dos momentos altos do Seminário. Para saber mais sobre este Seminário, ver aqui.


XII Encontro Nacional de Educação para a Cidadania Global

Lisboa, 8 de julho de 2017

O tema do Encontro deste ano foi “Contradições do Mundo Contemporâneo – Reflexões e Práticas em Educação para a Cidadania Global”. Mais uma vez, decorreu na Escola Superior de Educação de Lisboa, tendo a sua Presidente, Cristina Loureiro, proferido umas palavras de boas-vindas e participado nos trabalhos do Encontro.

O dia foi recheado de momentos significativos e variados: de manhã e à tarde, dois momentos de trabalho em grupos; uma comunicação do pedagogo e educador social espanhol César Muñoz (ver mais aqui), intitulada “A pedagogia da vida quotidiana e a conjuntura mundial de criação do «novo»: educação, participação cidadã e democracia participativa no séc. XXI(ver aqui); um plenário para apresentação das sínteses dos trabalhos de grupos; por fim, uma intervenção conclusiva por parte do orador convidado, que sublinhou o que de mais importante tinha captado no decurso da jornada.

Nos trabalhos de grupo, a partir de algumas contradições que o mundo contemporâneo nos coloca, procurou-se partilhar opiniões, preocupações, visões da atualidade para, olhando para situações concretas apresentadas por pessoas convidadas, pensar coletivamente em possíveis respostas educativas. As temáticas abordadas foram: a crise das democracias; informação e desinformação; governação e alternativas; sociedades multiculturais e vivência da diversidade; a situação do trabalho hoje e no futuro; alimentação e justiça social; igualdade de género. O segundo momento em grupo visava apresentar uma prática educativa concreta enquadrada no âmbito da ECG.

São ainda de salientar outros momentos importantes para proporcionar a interação entre os/as 101 participantes: a Pausa Justa, a meio da manhã, com produtos do Comércio Justo; o almoço; e um momento de partilha musical, animado pelo Coro da Terra. Estiveram ainda disponíveis algumas bancas com recursos pedagógicos no âmbito da ECG e uma banca com produtos de Comércio Justo.

Em breve começaremos a disponibilizar os materiais utilizados durante o Encontro e informação sobre o que se foi partilhando ao longo do dia.

III Congresso Internacional OBSERVARE

Lisboa, 17-19 de maio de 2017

O III Congresso OBSERVARE - PARA ALÉM DAS FRONTEIRAS: PESSOAS, ESPAÇOS, IDEIAS , promovido pelo Observatório das Relações Externas da Universidade Autónoma de Lisboa (UAL), teve lugar nos dias 17, 18 e 19 de maio, nas instalações da UAL e da Fundação Calouste Gulbenkian. Incluiu uma linha de painéis sobre Educação para a Cidadania Global.

O coordenador do congresso foi o Prof. Doutor Luís Moita, com uma longa ligação às temáticas da Cooperação e da Educação para o Desenvolvimento, bem como a diversas questões internacionais.

O congresso contou com participantes de mais de 60 universidades de 16 países e com diversas personalidades, como Guilherme d’Oliveira Martins (Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian), Maria João Valente Rosa (Universidade Nova de Lisboa), José Pacheco Pereira (Historiador), Constança Urbano de Sousa (Ministra da Administração Interna), Jorge Sampaio (Presidente da República Portuguesa, 1996-2006; Presidente da Plataforma Global de Apoio a Estudantes Sírios).

Estiveram presentes vários membros da Rede, e Teresa Martins e Luís Santos apresentaram uma comunicação com o título «A escola em tempo da cólera : a urgência de uma Educação para a Cidadania Global ». No mesmo painel, houve também uma comunicação de Filipe Martins, fazendo o balanço do projeto da revista Sinergias. Mais sobre o Congresso aqui.


12º Encontro de trabalho da Rede ECG

Águeda, 22 de abril de 2017

Como costuma acontecer nestes encontros, a agenda para o dia era ambiciosa, havendo também lugar para os vários reencontros entre membros e muita conversa para pôr em dia.

A primeira parte do Encontro foi dedicada a partilhar atividades e informações importantes para a Rede e a refletir sobre o nosso trabalho em rede. De entre as informações partilhadas, salientam-se: a atividade do Grupo de Trabalho das Apresentações da Rede, que apresentará em breve mais uma comunicação, no II INCTE (Encontro Internacional de Formação na Docência - ver mais aqui), a ter lugar em maio, em Bragança; o trabalho desenvolvido no AE Carlos Amarante, em Braga, no âmbito da disciplina de ECG, criada no presente ano letivo, e que tem suscitado muita adesão entre docentes e estudantes; a atividade do Grupo de Trabalho da Formação, que preparou recentemente uma formação dedicada à ECG na Escola do Poceirão, em Palmela.

De tarde, o trabalho centrou-se na preparação do XII Encontro nacional de ECG, através de um espaço para partilha de várias propostas concretas e reflexão entre membros. O Encontro terá lugar na ESE de Lisboa no próximo dia 8 de julho, subordinado ao tema “Contradições do mundo contemporâneo – reflexões e práticas em ECG”.

Como é hábito, o Encontro terminou com a Avaliação dos participantes. Foi um dia bem passado, num ritmo de trabalho intenso, mas onde não faltou a boa disposição e algum tempo para ficar a conhecer melhor a cidade de Águeda. Um agradecimento especial à Junta de Freguesia local, que gentilmente cedeu o espaço onde se realizou o Encontro. Ver aqui uma nota sobre este Encontro saída na imprensa local.

Ação de Formação em ECG no Poceirão

Poceirão (Palmela), 8 de março de 2017

25 professoras e professores do Agrupamento de Escolas José Saramago, do ensino pré-escolar, e 1º, 2º e 3º ciclos, de várias áreas curriculares, marcaram presença numa oficina em que se falou e refletiu sobre Educação para a Cidadania Global enquanto conceito, processo educativo e de aprendizagens, e de compromisso com um mundo mais justo, equitativo e solidário.

Esta ação foi organizada pelo Grupo de Trabalho de Formação da Rede ECG, em parceria com as professoras Emília Peres, também ela membro da Rede ECG, e Eunice Boga. Estas professoras têm vindo a realizar várias atividades no Agrupamento no âmbito do recurso educativo Dias para Agir, em interação com o programa Agir pelos Direitos da Câmara Municipal de Palmela.

A tarde correu bastante bem, num ambiente dinâmico e colaborativo, com muita partilha de opiniões e alegria.


Duas Sessões sobre Comércio Justo

Braga, 20 de janeiro de 2017

Estas sessões realizaram-se nas Bibliotecas de duas das escolas do Agrupamento Carlos Amarante – AECA (Escola Secundária Carlos Amarante e Escola Básica de Gualtar), em Braga. Serviram para ilustrar uma das temáticas abordadas na disciplina Educação para a Cidadania Global, oferta de escola iniciada este ano letivo neste Agrupamento. Esta realização foi possível devido à disponibilidade manifestada por uma das escolas de Lisboa, Escola Secundária José Gomes Ferreira, pertencente ao Agrupamento de Escolas de Benfica, que permitiu que dois dos seus alunos (o Diogo e a Maria) viessem até Braga para dinamizar estas sessões. Estes embaixadores do Comércio Justo conseguiram despertar o interesse das cinco turmas que participaram nestes encontros. Durante os 90 minutos que duraram cada sessão, os alunos do AECA colocaram diversas questões e opinaram sobre as diversas situações que os dinamizadores iam descrevendo, tendo estes a preocupação de contextualizar corretamente todas as informações que eram transmitidas. Conseguiram criar um ambiente descontraído e propício à reflexão. Terminaram com um Jogo no qual diversos grupos eram colocados no papel de uma das partes envolvidas na produção e comercialização do Café. Esta dinâmica fez os alunos tomarem consciência de algumas injustiças que são cometidas quando todo o processo não obedece a princípios éticos e respeitadores dos Direitos Humanos.

Referencial de Educação para o Desenvolvimento

Já se encontra disponível o Referencial de Educação para o Desenvolvimento - Educação Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário, elaborado com o objetivo de ser um documento que enquadre a intervenção pedagógica da Educação para o Desenvolvimento, como dimensão da educação para a cidadania, e promova a sua implementação em meio escolar.
Elaborado pelo Ministério da Educação, através da Direção-Geral da Educação, em parceria com o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., o CIDAC - Centro de Intervenção para o Desenvolvimento Amílcar Cabral e a Fundação Gonçalo da Silveira, o documento propõe o tratamento progressivo e transdisciplinar, desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário, de seis temas: desenvolvimento, interdependências e globalização, pobreza e desigualdades, justiça social, cidadania global e paz. Cada um destes temas integra vários subtemas e tem associados conhecimentos, capacidades, valores, atitudes e comportamentos. Mais aqui.

Assembleia da Rede Solidária de Jovens

Vigo, 22 de outubro de 2016

A convite da ONGD espanhola Entreculturas, que já tem marcado presença em alguns dos nossos encontros, Teresa Martins e Luís Santos participaram, em representação da Rede ECG, na XVIII Asamblea de la Rede Solidaria da Mocidade. Esta Assembleia contou com cerca de 150 participantes, incluindo muitos jovens de toda a Galiza que integram esta Rede.


O encontro decorreu sobre o tema genérico da Sustentabilidade, "Un mundo de alternativas para sanar a Terra". Dois ativistas da América Latina, Fernando Lopéz e Arizete Miranda, orientaram uma oficina, com a presença de jovens, relacionada com a preservação do principal pulmão do planeta, “Amazonía: aprender a coidar da Casa Común (mais aqui).


No final da manhã, e também após o almoço, teve lugar uma oficina de formação para professores/as, tendo por tema a organização de dinâmicas participativas para grupos. A participação revelou-se muito interessante para a compreensão das semelhanças e diferenças de abordagem das duas redes, portuguesa e galega, e para potenciar a colaboração futura.


10º Encontro de trabalho da Rede ECG

Lisboa, 8 e 9 de outubro de 2016

O 10º Encontro de Trabalho da Rede ECG realizou-se em Lisboa, nas instalações do CUPAV - Centro Universitário Padre António Vieira, paredes meias com a Fundação Gonçalo da Silveira. Foi o primeiro encontro deste novo ano escolar e nele participaram 16 membros da Rede.

Depois da Oficina sobre como partilhar experiências, dinamizada por Oscar Jara a 8 de julho passado, ficou uma grande vontade de pôr em prática as aprendizagens trabalhadas nesse dia. Pensou-se então que a partilha das várias experiências realizadas pelos membros da Rede ECG no ano letivo passado poderia ajudar a refletir e preparar o futuro.

E assim foi. No primeiro dia, houve oportunidade de partilhar o que tem acontecido nas dinâmicas locais do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, de Braga, na Escola Dr. Horácio Bento de Gouveia, do Funchal e na EB Prof. Francisco Barreto, da Fajã da Ovelha - Calheta, ambas da Madeira, e no Agrupamento de Escolas de Mira. Partilhou-se também, entre outros, a experiência do XI Encontro Nacional da Rede ECG e do funcionamento da Rede (comunicação interna, apoio à Rede, Equipa de Dinamização), do grupo de comunicação externa e a questão da sustentabilidade da Rede. Importante foi também o momento em que a Eliana Madeira, do Graal, que acompanhou o percurso da Rede o ano passado, nos deu a conhecer o seu olhar externo sobre a Rede.

No segundo dia, foi discutido o futuro próximo da Rede, a partir das experiências partilhadas no dia anterior. As atividades e as dinâmicas locais que se mantêm e as novas possibilidades que surgem foram sendo organizadas pelos membros da Rede ECG, dando um panorama mais geral dos desafios que se avizinham.

Foram quase dois dias de trabalho intenso, com concentração, mas com alegria também, e com um belo bolo para celebrar o 3º aniversário da Rede de Educação para a Cidadania Global. Que conte muitos e bons!


#

XI Encontro Nacional de Educação para a Cidadania Global

Lisboa, 9 de julho de 2016

Tal como em Encontros anteriores, pretendeu-se promover e reforçar a intervenção de educadores e educadoras na área da ECG através de um espaço de reflexão, debate, partilha, experimentação e participação conjunta. Este ano, definimos ainda como objetivos específicos:

- o aprofundamento das dimensões da ECG e a criação de sinergias para o desenvolvimento de práticas de ECG nas escolas;

- a divulgação dos fundamentos e práticas da Rede ECG.

Tendo isto presente, o programa foi desenvolvido à volta de 4 momentos principais: a abrir e a fechar, as reflexões e os desafios de Oscar Jara; de manhã, os/as participantes distribuíram-se por 6 grupos de trabalho para aprofundar 4 dimensões da ECG (pedagógica, colaborativa, política e ética) a partir de textos distribuídos no momento (que pode consultar aqui) e do debate gerado a seguir à sua leitura; à tarde, a proposta foi refletir sobre a ECG a partir da prática: em 8 oficinas, partilharam-se experiências concretas, tentando identificar os seus pontos fortes do ponto de vista das dimensões da ECG trabalhadas anteriormente.

As experiências partilhadas disseram respeito a: utilização de uma exposição sobre o Comércio Justo no meio escolar, propostas pedagógicas “Conectando Mundos” e “Um Dia para Agir”, manuais de “Educação para a Cidadania Global” e “É de género”, planeamento de intervenções no âmbito de uma escola e de uma sala de aula e a “Red Solidaria de Jóvenes”, da organização espanhola Entreculturas.

Entre os momentos que proporcionaram maior interação entre os 113 participantes contam-se a Pausa Justa (pausa para café, a meio da manhã, com produtos do Comércio Justo); o almoço, servido no refeitório da ESE de Lisboa, onde decorreu o Encontro; e um momento de partilha musical, animado por Francisco Fanhais, com um cante alentejano, uma canção de Zeca Afonso e um poema musicado de Sophia de Mello Breyner Andresen. Também estiveram disponíveis duas bancas, uma de recursos pedagógicos no âmbito da ECG e outra de produtos de Comércio Justo.

Para além de Oscar Jara, educador popular e sociólogo peruano e costa-riquenho, e de María Bermúdez, da organização espanhola Entreculturas, participou também no Encontro Crispina Gomes, da Fundação Amílcar Cabral de Cabo Verde.

Encontra aqui a Memória do Encontro e todos os materiais que ficaram deste intenso dia.


#

Educação para a Cidadania Global. Reflexões a partir da Experiência da América Latina”

Lisboa, 8 de julho de 2016

Educação transformadora, emancipadora, para a vida - Foi a partir desta motivação que Oscar Jara abordou o tema proposto para a conferência que se realizou nas instalações do Centro de Estudos Sociais – CES, em Lisboa, com o título "Educação para a Cidadania Global. Reflexões a partir da Experiência da América Latina".

Com décadas de trabalho enquanto educador popular e sociólogo, dirigente da Red Alforja em São José da Costa Rica, e recentemente reeleito Presidente do CEAAL – Conselho de Educação Popular da América Latina e Caribe, Oscar Jara partilhou com as mais de 50 pessoas presentes a sua visão do atual contexto do continente de onde vem e do papel da ECG: “pedagogias da resistência, da proposta, do diálogo, da mobilização, da esperança, da solidariedade, da conquista de sonhos possíveis...”.

Entre as ameaças, os problemas, os desafios, as conquistas... “a formação dos sujeitos protagonistas das transformações e o papel das educadoras e dos educadores: as condições e as disposições para outro tipo de relações de poder, no quadro de processos ético – políticos - culturais – pedagógicos – estéticos”.

Veja aqui a apresentação que serviu de base à conferência e aceda aqui ao registo de vídeo. Conheça também aqui o sítio do CEAAL, onde se encontram, entre outros documentos, o Comunicado da IX Assembleia Geral do CEAAL (23 de junho) e o último número da revista La Piragua.

Esta iniciativa foi promovida no âmbito do projeto Desafios Globais: reforçar a educação para a Cidadania Global nas escolas para responder aos contextos da atualidade, desenvolvido pelo CIDAC e pela Fundação Gonçalo da Silveira e cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.


“Educação Permanente em tempo de mudança”

Lisboa, 29 e 30 de abril de 2016

A Rede ECG esteve presente no Encontro Nacional “Educação Permanente em tempo de mudança: saber para transformar”, que se realizou no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, por iniciativa da APCEP – Associação Portuguesa para a Cultura e Educação Permanente (ver o programa).

O programa era intenso, com muitas comunicações interessantes e uma forte participação. A Rede ECG esteve no átrio - onde passavam os e as participantes e onde eram servidas as pausas - com o Referencial da Rede para distribuir, algumas publicações para vender e painéis sobre as atividades realizadas em 2014-2015 expostos. Deu para conversar com quem se aproximou da nossa mesa e para reatar contactos e fazer novos conhecimentos.

Do que observámos, concluímos que é importante chamar a atenção para a questão da Cidadania Global - as visões de cidadania continuam a estar muito ligadas à proximidade territorial – para as suas várias dimensões e para as perspetivas que abre às cidadãs e aos cidadãos.


#

A Rede ECG enquanto contexto de formação

Bragança, 4 e 5 de março de 2016

Foi no INCTE - 1º Encontro Internacional de Formação na Docência , realizado na Escola Superior de Educação do Politécnico de Bragança, que dois membros da Rede ECG apresentaram a comunicação “A Rede de Educação para a Cidadania Global como contributo para o desenvolvimento profissional de professores/as e educadorees/as". O objetivo foi tentar compreender a Rede ECG enquanto contexto de formação, interna e externa, de modo a perceber-se de que forma pode estar a contribuir para a capacitação de professores/as e educadores/as ao nível da Educação para a Cidadania Global. Veja aqui o resumo da comunicação (pág.181).



#

Em Espanha - partilha de experiências e inspiração

Guadarrama, 11 a 14 de fevereiro de 2016

Estiveram reunidas, no V Encontro Global da Rede Solidária de Jovens e no II Encontro Internacional da ONGD espanhola Entreculturas, 287 pessoas provenientes de Espanha, Nicarágua, Colômbia, Equador, República Dominicana e Portugal. A partir das propostas apresentadas, as/os participantes trabalharam problemas concretos, refletiram sobre as suas causas e consequências, sobre a multiplicidade das suas dimensões e sobre a sua relação com o global. Tudo isto a partir da experiência e trabalho de cada um/a, da realidade local, e com uma perspetiva e horizonte de transformação social.

A FGS, membro da Rede ECG, também esteve lá! Vejam mais sobre este espaço de reflexão aqui!

13º Encontro de trabalho da Rede ECG

A Rede ECG esteve reunida no CIDAC para o seu 13º Encontro de trabalho, tendo nesta altura completado 4 anos de existência. O Encontro iniciou-se pela apresentação dos 14 participantes por meio de uma sugestiva dinâmica de “desatar os nós da Rede”.

A primeira parte do Encontro foi dedicada a uma partilha do contexto educativo atual, em que se destacam: a introdução no ano letivo 2017/18 da disciplina “Cidadania e Desenvolvimento” como projeto piloto para as escolas que a isso se propuseram; a apresentação da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania, da responsabilidade das Secretarias de Estado da Educação e para a Cidadania e a Igualdade (ver aqui); a aprovação pelo Governo de diversos Referenciais, particularmente o Referencial de Educação para o Desenvolvimento (ver aqui), e da Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento; alguns projetos particulares, como a disciplina de ECG enquanto oferta de escola para os 2º e 3º ciclos no AE Carlos Amarante (Braga) e o projeto “ Carta de Convivialidade ” proposto pela DRE da Madeira; os contactos com o Movimento pela Educação Transformadora e pela Cidadania Global, de Espanha e a ação do GENE (Global Education Network Europe ). Esta partilha levou a que o grupo presente identificasse também diversos constrangimentos e potencialidades suscitadas por este atual contexto educativo.

Seguiu-se depois um período de reflexão acerca do papel da Rede ECG neste contexto atual, tendo sido apresentadas ideias/sugestões acerca de três diferentes temas: apoio da Rede em meio escolar (partilha de experiências, documentos, formação, recursos); posicionamento político; Encontro nacional. Esta reflexão em conjunto prosseguiu então à volta do tema do estado/futuro da Rede ECG. Um dos elementos fundamentais desta reflexão foi a questão da dinamização da Rede ECG. Após um debate animado quanto a este ponto e em que se confrontaram diferentes opiniões, foi decidido que se experimentasse neste ano letivo de 2017/18 não manter a atual estrutura de uma Equipa de Dinamização com mandato anual, mas que a responsabilidade de dinamização fosse partilhada pelas equipas que se oferecessem para preparar os vários Encontros (ET e EN), por cada equipa no período entre cada Encontro.

Foram depois constituídas as equipas responsáveis pela preparação dos Encontros previstos para 2018 e marcadas as suas datas e locais de realização. Finalmente, foram constituídos os Grupos de trabalho da Formação e do Documento de posicionamento. Foram dois dias intensos, mas esperamos que proveitosos para o fortalecimento do funcionamento e da ação da nossa Rede.


Conferência Porto ICRE'17

Porto, 20-21 de julho de 2017

Na International Conference on Research in Education - Porto ICRE'17, foi apresentada, no dia 20 de julho, a comunicação "Educação para a Cidadania Global (ECG): uma pedagogia crítica no desenvolvimento profissional de professores", cujos autores são Ana Maria Rolim, Luísa Azevedo, Margarida Fernandes e Luís Santos. No dia 21, foi também apresentada a comunicação "Uma consciência global na promoção do sucesso escolar: oferta de escola da disciplina de Educação para a Cidadania Global", da autoria de Luís Santos e Teresa Martins.

O Agrupamento de Escolas Carlos Amarante (AECA), em Braga, tem vindo, desde o ano letivo 2014-2015 - e em Gualtar, uma das escolas que o integram, desde há mais de uma dezena de anos - a abordar a temática da ECG, como um processo educativo que contribui para a formação de cidadãos e cidadãs responsáveis e comprometidos. O trabalho desenvolvido neste âmbito registou uma evolução no presente ano letivo: respondendo à orientação do Ministério da Educação para a elaboração de um Plano Estratégico de Promoção do Sucesso Escolar, foi decidido procurar alternativas aos processos tradicionais de melhoria de resultados escolares (geralmente, mais horas de alguma disciplina, como Inglês, Português ou Matemática), tendo-se criado uma nova disciplina de oferta de escola – ECG – para os alunos do 5º ao 7º anos.

O processo incluiu a elaboração do respetivo currículo, formação de professores/as, produção de materiais e discussão de abordagens metodológicas. Pretendeu-se desenvolver novas competências nos/as alunos/as (autonomia, iniciativa, espírito crítico e criatividade, o envolvimento no seu processo de aprendizagem, partilha do trabalho com a comunidade educativa) que resultassem na aquisição de conhecimentos relevantes enquanto cidadãos e cidadãs num mundo globalizado. A criação desta disciplina abriu também novas hipóteses de desenvolvimento profissional dos/as professores/as.

Um grupo de docentes deste Agrupamento realizou um estudo que analisou o impacto da criação desta nova disciplina no desenvolvimento profissional dos professores/as envolvidos. Especificamente, foram analisadas as perceções sobre a contribuição para a evolução do seu conhecimento em relação aos temas tratados, bem como para a adoção de métodos pedagógicos promotores da autonomia crítica do/a estudante, e o processo de coconstrução da disciplina no âmbito do Agrupamento, a formação e o acompanhamento disponibilizados, a articulação dos intervenientes, a sua identificação com as temáticas tratadas e a sua relevância na formação global dos/as alunos/as.

Foi apresentado e discutido, na segunda comunicação, o acompanhamento da Rede ECG ao longo de todo este percurso na construção desta disciplina como oferta de escola. Para saber mais sobre esta Conferência, ver aqui.


Oficina "Pedagogia da Vida Quotidiana"

Lisboa, 7 de julho de 2017

Na tarde do passado dia 7 de julho, decorreu nas instalações do CIDAC uma sessão de formação orientada por César Muñoz , ex-professor de Pedagogia da Universitat Ramon Llull, em Barcelona, consultor internacional das temáticas da Infância, Juventude e Participação Cidadã-Democracia Participativa (mais aqui).

A oficina destinou-se aos membros da Rede ECG, tendo contado com 12 participantes.

A intervenção do orientador centrou-se em temas relacionados com a sua proposta pedagógica, a Pedagogia da Vida Quotidiana . De acordo com esta visão, tributária da pedagogia de Paulo Freire, a criança/jovem deve ser colocada no centro do processo educativo, com uma participação ativa e não como mera recetora passiva.

Esta oficina visou aprofundar a reflexão dos membros da Rede ECG presentes sobre as dimensões da Educação para a Cidadania Global, designadamente nos aspetos metodológicos e colaborativos.


2º INCTE - Encontro Internacional de Formação na Docência

Bragança, 5 e 6 de maio de 2017

A Escola Superior de Educação de Bragança acolheu o 2º INCTE - Encontro Internacional de Formação na Docência (mais informações aqui).

A este congresso, tal como no ano passado, foram apresentadas comunicações de membros da Rede. Salienta-se a intitulada " O poder das narrativas enquanto experiências de supervisão: polifonias da Rede ECG ", da autoria de Luís Santos (que apresentou a comunicação), Teresa Martins e Isabel Sandra Fernandes . Esta comunicação resultou dos contributos de membros da Rede, e também de fora da Rede, que enviaram as suas narrativas de envolvimento com o trabalho de ECG, e será em breve objeto de publicação no Livro de Atas.

O Encontro teve uma assinalável participação, com mais de 300 inscritos (de Portugal, Espanha, Brasil, Rep. Dominicana, São Tomé e Príncipe) e 134 comunicações (organizadas em sessões paralelas), para além de duas mesas-redondas e a conferência plenária de abertura.

Merecem especial destaque as intervenções dos convidados, Professor António Nóvoa (Univ. de Lisboa) e Professor Miguel Ángel Santos Guerra (Univ. de Málaga), sobre a formação de professores, com interessantíssimos contributos para repensar criticamente a escola e sobre as mudanças em curso na educação.


Seminário Internacional "Educação e Cooperação em Situações de Emergência"

Braga, 7 de abril de 2017

Este Seminário realizou-se no Instituto de Educação (IE) da Universidade do Minho e foi promovido pela Rede Interinstitucional para a Educação em Situação de Emergência (INEE) e pelo IE.

Da organização do evento fizeram parte duas pessoas que são também membros da Rede, a Andreia Soares e a Sara Poças. O Seminário foi coordenado pelo Professor Júlio Santos (U. Minho), conhecido investigador na área da ECG.

O Seminário contou com uma forte participação internacional, de diversas intituições e universidades, incluindo o Diretor da INEE, Dean Brooks, bem como um apreciável número de participantes (cerca de uma centena).

Para além de uma exposição de materiais relevantes, o Seminário organizou-se em 3 sessões e um plenário de partilha de discussões:
Sessão 1 “Educação em situações de Emergência: delimitação do campo”.
Sessão 2 “Educação em situações de Emergência: sensibilidade às questões de conflito”.
Sessão 3 “Construindo sinergias em Educação em situações de Emergência: Ensino, Formação e Capacitação sobre Educação em situações de Emergência; Investigação e Gestão de Conhecimento sobre Educação em situações de Emergência; Agendas e tendências atuais no domínio da Educação em situações de Emergência".

Mais informação sobre a INEE e o Seminário aqui.


11º Encontro de trabalho da Rede ECG

Porto, 4 de fevereiro de 2017

Partilhar experiências, organizarmo-nos melhor enquanto Rede e começar a preparar o próximo XII Encontro nacional de ECG, marcado para 8 de julho próximo, foram os objetivos que reuniram 17 membros da Rede ECG, no CREU (Centro de Reflexão e Encontro Universitário).

O ponto principal da agenda era a partilha e reflexão sobre as nossas experiências de ECG , a partir de uma proposta metodológica específica de partilha, que foi ela própria objeto de reflexão para o futuro.
Foram ainda tratados alguns aspetos organizativos, necessários para a Rede poder funcionar . Entre estes, salientam-se: uma proposta de formulário online para recolha de dados das necessidades existentes de acompanhamento de experiências de ECG e para identificação dos recursos disponíveis para apoio; constituição dos diversos Grupos de Trabalho (Preparação do XII EN; Comunicação; Formação; Apresentações da Rede e da ECG ). Dedicou-se ainda algum tempo a debater alguns aspetos relativos à preparação do XII EN, nomeadamente propostas para o tema geral do Encontro. O Encontro terminou com o momento da Avaliação. Mais uma vez, foi um dia muito agradável e proveitoso de construção em conjunto da nossa Rede a partir do que cada um/a traz da sua experiência particular.


Ação de Formação "Trabalho Hoje e no Futuro"

Lisboa, 13 e 14 de janeiro de 2017

O recurso pedagógico no qual se baseou a ação de formação está a ser elaborado no âmbito do projeto Desafios Globais: Reforçar a ECG nas escolas para responder aos contextos da atualidade. Este recurso incide sobre um tema da atualidade: Trabalho, e divide-se em 2 subtemas: Automatização do Trabalho e Trabalho e Migrações. Durante a formação foi possível falar e refletir sobre o recurso com os/as professores/as e educadores/as que participaram, focando também nas temáticas ECG e nas metodologias que são propostas. Houve tempo também para discutir sobre os recursos pedagógicos e sobre o papel do/a educador/a na Educação para Cidadania Global. No final, ficaram muitas ideias, recomendações e boa disposição.


I Encontro do Movimento pela Educação Transformadora e pela Cidadania Global

Madrid, 4, 5 e 6 de novembro de 2016

A Rede ECG marcou presença no I Encuentro del Movimiento por la Educación Transformadora y la Ciudadanía Global, que se realizou em Madrid. Este Encontro tinha como principal objetivo ser um espaço de reflexão, formação e intercâmbio entre os/as professores/as e escolas pertencentes às quatro Redes dinamizadas pelas organizações Entreculturas, InteRede, Oxfam-Intermón e Alboan. Como convidadas, estiveram a Rede ECG, representada pelo Hugo Marques e pela Margarida Fernandes, e a Rede Fe y Alegria, através de 5 representantes de vários pontos da América Latina.

O encontro foi muito dinâmico, permitindo que os participantes se ficassem a conhecer, logo se estabelecendo algumas cumplicidades que facilitaram o trabalho desenvolvido nos dias seguintes. Houve dois momentos marcantes. Um aconteceu através da leitura e reflexão de um texto enviado por Oscar Jara, intitulado Dilemas e desafios de uma educação transformadora, em que os participantes, através da reflexão prévia e da troca de ideias em vários grupos de trabalho, responderam a 5 questões. O outro foi a intervenção de Alejandra Boni, em que houve a oportunidade de, através de trabalhos em pequenos grupos, refletir e contribuir para a elaboração de um documento orientador (ver aqui) sobre Caraterísticas das escolas transformadoras para uma cidadania global.

Para além do intercâmbio informal que existe sempre nestes encontros, houve também oportunidade de apresentar a nossa Rede através de uma dinâmica apelidada de Café-diálogo, onde os grupos, que iam passando por uma mesa recheada de petiscos de comércio justo, discutiam o tema Trabalhando em rede com Educadores/as e Professores/as. Enquanto os participantes iam picando alguma coisa, a nossa Rede era disseminada e servia de base para conversas bastante interessantes e enriquecedoras sobre o trabalho em rede.

Este Encontro permitiu conhecer como as Redes espanholas estavam a trabalhar a ECG nas escolas, percebendo-se que a realidade é muito diversa e que o caminho percorrido já é longo. Durante os dias do Encontro, vários foram os momentos de partilha de experiências, de inquietações, de descoberta, de fortalecimento e de animadas conversas. Ficou-nos a ideia de que as várias Redes têm interesse em conhecer melhor a Rede portuguesa e, quem sabe, avançar-se para a realização de trabalho conjunto.


#

Participação na MICAR

Porto, 15 de outubro de 2016

A Rede ECG participou, como convidada, na 3ª edição da MICAR - Mostra Internacional de Cinema Anti-racista, que teve lugar no Teatro Rivoli do Porto. Luís Santos , membro da Rede, fez o comentário a um dos filmes exibidos, com uma apresentação oral após a sua exibição.

Neuland, um filme poderoso e comovente, de origem suíça-alemã, retrata as vivências de alunos que frequentaram um curso de integração para refugiados numa escola de Basileia, em conjunto com o seu professor, e as suas dramáticas histórias de vida que interferem com a adaptação à sociedade suíça, bem como o confronto com a situação das suas famílias nos países de origem.

O convite surgiu pelo facto de se tratar de um filme sobre a educação e a integração de jovens - no caso, com diversas nacionalidades - na Suíça, remetendo por isso para muitas das temáticas que têm vindo a ser trabalhadas na Rede ECG, e que se relacionam, entre outras, com a não discriminação e a igualdade de direitos e oportunidades .

Os filmes da Mostra incidiram sobre diversas temáticas relacionadas com o racismo e a xenofobia, seja em relação à comunidade cigana, à integração de imigrantes nas sociedades de acolhimento ou sobre os refugiados.

Facebook da MICAR aqui.


Ação de Formação em ECG em Braga

Braga, 5 a 7 de setembro de 2016

O Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, em Braga, foi palco de um Curso de Formação para Professores/as em Educação para a Cidadania Global. A ação de formação foi dinamizada pela formadora Anabela Lemos, membro da Rede de Educação para a Cidadania Global. A ação contou com a participação de 27 docentes do agrupamento, incluindo um membro da direção da Escola Carlos Amarante.

A formação realizou-se no âmbito da introdução da disciplina de Educação para a Cidadania Global neste agrupamento, pelo que teve como principal objetivo motivar os docentes para a abordagem dos temas relacionados com o desenvolvimento, a globalização e a soberania alimentar.


A ação foi muito participada e privilegiou momentos de reflexão, contando com um grande empenho por parte de todos os docentes. De um modo geral, os formandos avaliaram a ação como muito pertinente, tendo realçado o equilíbrio entre componente teórica e prática.


Oficina "Como Partilhar Experiências?" com Oscar Jara

Lisboa, 8 de julho de 2016

Um dia de partilhas refletidas e estruturadas...

Como partilhar as nossas experiências de Educação para a Cidadania Global (ECG), de modo a que outros/as as percebam e possam recolher frutos para as suas próprias práticas? O que significa diálogo crítico e qual o papel da partilha de experiências? Foram estes os pontos de partida da oficina dedicada aos membros da Rede ECG, na qual fomos desafiados/as por Oscar Jara a aprofundar a nossa capacidade de partilhar experiências.

Esta oficina decorreu no CIDAC e contou com a presença de 22 participantes. Foi dividida em duas partes:

- um primeiro momento coletivo em que, a partir de um exercício individual, se refletiu sobre a “melhor” e a “pior” experiências de ECG vividas, e quais os motivos que justificaram a escolha, bem como recomendações para o futuro;

- e um segundo momento de reflexão a partir de trabalhos em grupo, que procurou chamar a atenção para a importância do processo de partilha ser, em si mesmo, um processo transformador.

Um exercício e uma reflexão que permitiram aos participantes perceber qual a importância de refletir criticamente antes de partilhar, de organizar ideias e priorizar a informação a transmitir, salientando a diferença entre “partilha de aprendizagens” e “intercâmbio de informações”, entre um diálogo aberto, problematizante e crítico e uma apresentação pouco refletida.

Ficou muito por explorar, mas temos agora mais um incentivo, e mais pistas concretas, para partilhar experiências de outra maneira. Vamos praticar!

Esta iniciativa foi promovida no âmbito do projeto Desafios Globais: reforçar a educação para a Cidadania Global nas escolas para responder aos contextos da atualidade, desenvolvido pelo CIDAC e pela Fundação Gonçalo da Silveira e cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.


#


III COOPEDU - Cidadania Global

Lisboa, 27 a 29 de junho de 2016

A Rede ECG foi apresentada no painel “ Parcerias na educação e formação ” do III COOPEDU – Congresso Internacional Cooperação e Educação, pelos membros da Rede Luís Santos e Teresa Martins, proporcionando um conhecimento da Rede e do seu trabalho no âmbito da Educação para a Cidadania Global (ver aqui o resumo da apresentação).

Dando continuidade a anos anteriores, o III COOPEDU, cujo foco este ano era a Cidadania Global, teve lugar entre os dias 27 e 29 de junho, no ISCTE (Lisboa). Foi organizado pelo Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria.

Durante estes dias, foram tratados temas como os aspetos concetuais, a relação da ED/ECG com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), o papel do Ensino Superior e da educação não formal na ED/ECG, as políticas educativas na Cooperação para o Desenvolvimento (em particular a portuguesa), as novas literacias e as parcerias na educação e formação.


O congresso contou igualmente com a presença e comunicações de outros membros da Rede, tendo por base diferentes iniciativas de ECG a que estão ligados (desde doutoramentos à revista "Sinergias" ou à construção de uma unidade curricular no ensino superior) e cujas experiências partilharam: Sara Poças, Andreia Soares, Jorge Cardoso , Hugo Marques e Luísa Teotónio Pereira. Para mais informações, ver aqui o programa.


#

9º Encontro de trabalho da Rede ECG

Braga, 9 de abril de 2016

O nosso 9º Encontro de trabalho realizou-se na Escola Básica de Gualtar. Estes momentos são sempre muito enriquecedores pela reflexão e partilha efetuadas sobre a ECG, a partir das nossas vivências e perceções.

Ao todo, éramos 17 membros da Rede, a que se juntaram durante todo o Encontro duas educadoras galegas, a Yolanda Castro e a Veronica Dopico, membros da “Red de professorado” da organização espanhola Entreculturas.

Como previsto, partilhámos experiências e ficámos a saber que a Rede tem sido apresentada em alguns foros académicos. Outras atividades partilhadas incluíram aquelas desenvolvidas pelo grupo local de Gualtar, a formação de professores e o início da atividade do grupo da ECG e Educação Sexual e Afetos. Houve espaço também para a partilha dos elementos que têm sentido dificuldades em mobilizar os seus pares para que desenvolvam atividades no âmbito da ECG nas escolas.

No final, ainda se preparou o XI Encontro Nacional de ECG (que será em Lisboa, na Escola Superior de Educação, no dia 9 de julho de 2016). Ficámos ainda a saber que a Rede passará a dispor de um colaborador a tempo parcial para apoio logístico e organizacional.

O dia foi muito agradável, passou a correr. Os momentos da refeição e das pausas foram restabelecedores do físico, mas sobretudo dos afetos. E, quando chega ao fim, fica um pouco de nostalgia e desejo de continuar.


#

8º Encontro de trabalho da Rede ECG

Lisboa, 6 de fevereiro de 2016

No sábado, 6 de fevereiro, realizou-se em Lisboa o 8º Encontro de trabalho da Rede ECG. Os membros da Rede participantes dedicaram a manhã a aprofundar a sua reflexão individual e coletiva sobre a Educação para a Cidadania Global, em 4 das suas dimensões: pedagógica, colaborativa, ética e política. Na parte da tarde, trataram-se questões da vida da Rede: a sua sustentabilidade, a sua estratégia de comunicação, o andamento dos seus Grupos de Trabalho e a preparação do XI Encontro nacional de ECG – já marcado para 9 de julho de 2016, em Lisboa.

Veja aqui um curto vídeo que aborda algumas das questões discutidas sobre o que é a Educação para a Cidadania Global.